domingo, 29 de junho de 2008

QUADRAS DA MINHA MÃE

A SIBILA DE DELFOS DESENROLANDO UM PERGAMINHO_M. ÂNGELO


Já não tenho pai nem mãe

Nem nesta terra parentes

Sou filha das tristes ervas

E neta das águas correntes

****

Quem tem janelas de vidro

Não pode atirar pedradas

Eu fui atirar às vossas

E achei as minhas quebradas

****

Azeitona miudinha

Que azeite podes dar

Homem pobre e sem dinheiro

Que amores hás-de arranjar

****

Mais quero amar uma pedra

Do que amar teu coração

Uma pedra não me foge

E tu foges-me sem razão

Tradição Popular

6 comentários:

~pi disse...

ai meu querido luís!

que coisa mais liiiii ~~ ~~ nda!!

posso ouvir uma melodia

de vento no planalto

a acompanhar! :)






~

Anja Rakas disse...

Vou usar palavras/frase cliché:
Ta uma maravilha! Adorei..."Mais quero amar uma pedra Do que amar teu coração Uma pedra não me foge E tu foges-me sem razão" - confesso querer ser essa Pedra...confesso...(já são outras histórias).

Bjs angelicais

mariam disse...

ah! pois é ... popular popular... mas cheio de razão! ou não!

um sorriso :)

heretico disse...

... o que "prova" que a filosofia é "material" rss.

(ainda esfrego os olhos. de espanto. e prazer... rss)

abraço.

Zédu disse...

Gosto de quadrinhas. Gostei destas.
Gosto de teu blog.
Volterei sempre.

Cidinha disse...

A primeira coisa que me vem á cabeça... é brincadeira de criança..rima que corre fácil...solta..e brota espontaneamente!

Abç