quarta-feira, 11 de junho de 2008

AINDA A QUESTÃO DA JUSTIÇA?

MINERVA E O CENTAURO_SANDRO BOTICELLI; cerca de 1482Nas vestes de Minerva, a deusa da sabedoria, Boticelli colocou o emblema da família

*******

"Admitimos normalmente que uma discussão conduzida de modo ideal entre um grupo de pessoas tem maiores probabiliades de atingir uma conclusão correcta[se necessário mediante uma votação] do que as análises isoladas de cada um dos participantes. Qual a razão deste facto? No quotidiano, a troca de opiniões com outros limita a nossa parcialidade e alarga as nossas perspectivas; somos obrigados a ver a realidade através do ponto de vista dos outros e tomamos consciência da limitação das nossas posições. Mas, num processo ideal, a presença do véu de ignorância signfica que a imparcialidade do legislador é um dado adquirido. Os benefícios da discussão decorrem do facto de que mesmo os legisladores representativos têm conhecimentos e capacidades de raciocínio limitados. Nenhum deles sabe tudo o que os outros sabem ou consegue tirar as conclusões que só em conjunto se torna possível atingir. A discussão é uma forma de combinar a informação e de alargar o alcance dos argumentos. Os efeitos das deliberações em comum parecem melhorar necessáriamente a situação, pelo menos desde que se prolonguem no tempo." JOHN RAWLS; UMA TEORIA DA JUSTIÇA

4 comentários:

mdsol disse...

É inevitável a recorrente: "Da discussão nasce a luz"!
:))

VEU DE MAYA disse...

Discussão, sim. Mas de bona fide...

Vieira Calado disse...

Vim para ler o texto e dizer obrigado pela visita ao meu blog.
Cumprimentos

Mariz disse...

Salvé!

Imagem: uma família desde há muito escolhida mesmo antes de virmos a este plano, traz consigo os "acordos" pré-estabelecidos para que a sabedoria se desnvolva aí...no seu seio.
É essa família que teremos de viver até ao fim dos nossos dias, como eterno espelho de nós, quer qeiramos ou não...quer aceitemos ou não. Fado? Dstino? Praga? não!EVOLUÇÃO!
Texto: o trabalho de equipa e a discussão inter paris é sempre mais luminosa que o embaciamento do verbo conjugado na 1ª pessoa do singular - mesmo que se engulam alguns sapos vivos - espécie esta, jamais em vias de extinção - para quem se assuma e considere que está em constante movimento, transmutação, etc. Ninguém está totalmente estagnado!...só que uns andam em câmara lenta e outros aceitam mais facilmente a fluidez do tempo e espaço - mesmo que inexistente...mas eficaz! - daí a tarimba de alguns, e os olhares esbogalhados de outros...

um gesto doce para si
Mariz

ESPAVO!