sábado, 14 de junho de 2008

A ENCANTDORA DE SERPENTES?

LA CHARMEUSE DE SERPENTS_HENRI ROUSSEAU, 1907

Óleo sobre tela, 169x 189,5 cm, Paris Musée do`Orsay
  • "Dantes, o eu escondia-se no rebanho, presentemente, o rebanho esconde-se no fundo do eu»;
  • «À altitude conveniente tudo se assemelha e se confunde, os pensamentos do filósofo, as obras do artista e as boas acções»;
  • O que se perde em qualquer especialização, é a forma sintética que, na natureza, é a forma superior»

Nietzsche, Vontade de Poder I

4 comentários:

mdsol disse...

Soberbas as citações.
:))

heretico disse...

"rebanho esconde-se no fundo do eu".

por vezes o "eu" e o "rebanho" não se escondem. fundem-se num todo.

... e então a História acontece!

abraços

Mariz disse...

Salvé Véu de Maya:

A minha resposta é uma única ás 3 dissertações que colocou:

Pela singularidade do Eu, na multiplicidade do NÓS, numa União MAIS-QUE-PERFEITA! - somos todos UM!

Mariz

ESPAVO!

~pi disse...

olhar o todo do todo:

integral sorriso

: ser



~