domingo, 8 de junho de 2008

JUSTIÇA E POUPANÇA

As CRIANÇAS RICAS_FERNANDO BOTERO, 1968Óleo sobre, 98,1 x1 95,6.Colecção particular.

"Quando a população é pobre e a poupança difícil deve exigir-se uma taxa mais baixa de poupança; enquanto que de uma sociedade mais rica podemos razoavelmente contar com poupanças maiores, dado que o sacrifício real exigido pela poupança é menor. Pode acontecer que quando as instituições justas estiverem solidamente estabelecidas e todas as liberdades básicas efectivamente realizadas, a acumulação líquida exigida desça para zero. Ao atingir este ponto a sociedade satisfaz o seu dever de justiça conservando as instituições justas e salvaguardando a respectiva base material. O princípio da poupança justa aplica-se àquilo que, de acordo com as exigências da justiça, uma sociedade deve poupar. O desejo de os seus membros pouparem por outras razões coloca-se-se-se num plano diferente"

JOHN RAWLS, UMA TEORIA DA JUSTIÇA

4 comentários:

Mariz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mariam disse...

dada à "santa preguiça" cirandei por aqui com mais calma...

gostei (muito)de lê-lo...

muito bom este post, mas, sabemos ser utopia "... e todas as liberdades básicas efectivamente realizadas, a acumulação líquida exigida desça para zero..."

gosto do seu conceito de Liberdade...
"...
É o ser na casa de si e a felicidade no Mundo
onde a liberdade se torna viva e concreta
e aspira a ser mais que uma ilusão valiosa e secreta;
...
o ser particular e o conceito universal
onde a liberdade se torna o plasma do Mundo
e a felicidade pode voar em realizações de fundo;
..."

e porque hoje é dia dos oceanos
«Novos mareares longe me esperam
Seguirei...»

boa semana,saúde
um sorriso :)

mdsol disse...

:))