sábado, 27 de dezembro de 2008

LUCIDEZ PRIMORDIAL

VIDA E RENOVAÇÃO [escutar- Ave Maria-Schubert-barra de vídeo]
*
É a claridade na construção e na desconstrução
onde a vida salta para as ficções de uma bela ilusão
ou triunfa plural no mar da sua incrível contradição;
*
o véu da construção no jogo da perfeição e estabilidade
onde quebra a incerteza e a errância gravadas ao real
para aí traçar um carossel estrelar para a humanidade;
*
a seiva da desconstrução no regresso ao caos real
onde a vida sai da casca da segurança e estabilidade
e afirma a sua verdade no rio da incerteza e instabilidade;
*
o voo da fragilidade rumo à etérea felicidade
onde a vida não se liberta da miragem e da fraqueza
e até se consola na auréola de ganhar uma nova fortaleza;
*
o voo da descontrução rumo à inevitável verdade
onde a vida regressa à sua fonte primordial
e afirma a sua pluralidade mesmo na incerteza e instabilidade;
*
A viagem de ida e volta
onde sem deixar de girar no mesmo círculo
a vida embarca numa total reviravolta;
*
O jogo das ilusões onde sonhou e rodopiou a verdade
e a desconstrução que arranca a vida à estagnação
e a conduz à claridade duma nova aposta e vitalidade;
*
É claridade na construção e na desconstrução,
ilusão e desilusão no amor à vida e à verdade,
triunfo sobre a fraqueza e uma outra vitalidade;
Viagem de ida e volta num eterno circular
onde a inversão se ilude e volta a desencantar
até numa nova energia se poder reencontrar;
Alfa e omega de uma nova claridade
onde a vida e a liberdade se inebriam
por um inocente amor à verdade!...

Véu de Maya

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

PAUSA DE NATAL..

FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO

[ Música de Natal-não perca.dogs singing christmas song-barra de vídeo]
*
A todos os que visitam ou deixam comentários no meu blogue o meu sincero agradecimento...Até Breve...BEM HAJAM...
Véu de Maya

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

MIMOS DE APAIXONADOS

TONALIDADES DA PAIXÃO[Ouvir Amália Rodrigues-meu amor, meu amor-barra de vídeo]

*
Sou a paixão nos olhos
E tu as carícias do céu
Tu as pregas nos folhos
E eu as delícias do véu...

*
Sou a ingenuidade sagrada
E tu a leveza que encanta
Tu a flor na madrugada
E eu a saudade que apranta...

*
És a fonte da ternura
E eu o gesto que brilha
Tu o sabor que perdura
Eu eu o prazer que desfila...

*
És a leveza nas mágoas
E eu a núvem que esfuma
Tu o rio nas minhas àguas
E eu a seiva na tua espuma...

*
És farol no mar profundo
E eu paixão na vida adorada
Tu a explosão no meu mundo
E eu a vida no teu desflorada...


Véu de Maya

domingo, 14 de dezembro de 2008

O ELEVADOR DO AMOR

NASCIMENTO DO AMOR_SANDRO BOTTICELLI[Ouvir música de Beethoven- sinfonia nº 7-barra de vídeo]
*
É a arte de persuadir a aldeia global
que os ventos da civilização são o mais nobre antídoto
contra a cegueira da barbárie e a vulgarização do mal;
*
as fontes da felicidade comum
onde os critérios superiores de ética vital
se sobrepõem aos caprichos da felicidade individual;
*
a dor e a tristeza que invadem os povos
quando a sua existência os condena à aflição
de faltar o sentido da vida para os novos;
*
a revolta e a triste indignação
que atravessam os laços da civilização
quando a barbárie triunfa sobre as luzes da razão;
*
a urgência de expandir em todo o cidadão
a cultura da saúde, da liberdade, e da acção
como a melhor fortaleza de todo o estado ou nação;
*
a justiça do direito na raíz dos argumentos
onde se combate o atropelo e a mentira e a falsidade,
e se celebra o amor ao planeta em notáveis monumentos;
*
É a arte de persuadir a aldeia global
que os ventos da civilização são o melhor antídoto
contra a cegueira da barbárie e a estupidez do mal;
Combate do humano sobre a violência,
e os sopros do amor que marcam o Mundo
com a sua errante mas valiosa presença;
Cultura da saúde, da liberdade e da acção,
notáveis guerreiros contra a decadência,
e na civilização, uma eterna emergência!..



Véu de Maya

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

FELIZ ANIVERSÁRIO A 13 DE DEZEMBRO

PARABÉNS A VOCÊ E FELIZ ANIVERSÁRIO.Dedico esta postagem à Helô-eternaapaixonada pela vida
*
Com meu carinho e admiração, compartilho com todos os amigos.
Sintonias do coração http://hsp7.blogspot.com/
*
*
*
Pára roda sagrada nesta celebração pura.
Enche o céu obscuro de estrelas cintilantes
E floresce o dia com Sol e laços de ternura,
Como a eternidade por todos os instantes...
*
Deixa-me ser a panóplia dos desejos
E a madrugada inocente dos risos
E os toques suaves na orla dos desejos,
E os laços da partilha, fortes e sem avisos...
*
Deixa-me ser a luz veloz e os rios da emoção
E os céus da ingenuidade ao vibrar no coração,
E os sopros do carinho nos píncaros da alegria...
*
Pois, hoje, só posso, sentidamente, ser a inocência
De querer ser a luz e a voz e o Sol e a florescência,
E de brindar ao jeito que és com flores de poesia...


Véu de Maya

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

VARIAÇÔES EM RÉ MENOR

IDÍLIO_TAMARA DE LEMPICKA
[ouvir Amália Rodrigues-Que Deus me perdoe- barra de vídeo]

*
És o brilho nos olhos
E eu o véu que desfolha.
Tu és o desejo no corpo
E eu o amor que consola.
*
És a ingenuidade bonita
E eu a leveza da amora.
Tu és o encanto que mima
E eu o prazer que demora.
*
És a boémia do fado
E eu a guitarra que geme.
Tu és um encanto no Mundo
E eu um poço sem fundo.
*
És a rainha dos beijos
E eu o altar dos mimos.
Tu és a musa dos meus versos
E eu a harpa dos teus limbos.
*
És brisa na madrugada
E eu felicidade no Mundo.
Tu o céu numa estrela dourada
E eu o barco num rio profundo.



Véu de Maya

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

GALATEIA DE ESFERAS

GALATEIA DE ESFERAS_SALVADOR DALÍ [Ouvir Vivaldi-le Quattro Stagioni-Primavera, barra de vídeo]

*
É a fidelidade aos jardins da dignidade humana
onde se irrigam os princípios e as práticas consentâneas
e se deitam fora as que são cruéis e cobardes e sacanas;
*
o cultivo da liberdade e da tolerância
onde a vida dura e consiste não por defeito
mas por amor ao diverso e ao brio na discordância;
*
a sinfonia da vida uníssona com a verdade
onde nasce firme e guerreiro o valor da lealdade
para expulsar tudo que seja contrafacção ou falsidade;
*
a solidez no equilíbrio dos instintos
onde o humano disfruta da integralidade
sem abraçar o demónio das práticas da cruedade;
*
a força das raízes e das vozes no sangue e na lei
onde a lealdade à bela dignidade do ser humano
é num só voo, o alto-valor, o reino-solene, e o critério-rei;
*
a imagem da unidade de si no espelho
onde todo o humano poderia reconhecer
que a vida existe mesmo num escaravelho;
*
É a fidelidade aos jardins da dignidade humana,
justiça contra toda a prática cobarde, vil e sacana,
e amor à liberdade que à vida nunca engana;
Plenitude à inocência cósmica do devir
e combate contra a ignóbil maldade
sem nunca abdicar do solo da verdade;
O amor selado à Vida e ao Universo
neste sábio reino de cantar a grande dignidade
como um valor puro e incontroverso!...


Véu de Maya.

domingo, 7 de dezembro de 2008

HOMENAGEM A FLORBELA ESPANCA, EM 8 DE DEZEMBRO.

INTERLÚDIO COM FLORBELA ESPANCA[Ouvir Mariza-Gente da Minha Terra-Barra de vídeo]
*
POETAS
*
Ai as almas dos poetas
Não as entende ninguém;
São almas de violetas
Que são poetas também.
*
Andam perdidas na vida,
Como as estrelas no ar;
Sentem o vento gemer
Ouvem as rosas chorar!
*
Só quem embala no peito
Dores amargas e secretas
É que em noites de luar
Pode entender os poetas
*
E eu que arrasto amarguras
Que nunca arrastou ninguém
Tenho alma pra sentir
A dos poetas também!


Florbela Espanca

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

BELO MUNDO

BELO MUNDO_RENÉ MAGRITTE
[Ouvir Mozart sinfonia 40-barra de vídeo]
*
É um navio sobre a vida e no inverso o silêncio
onde o rio solitário se aprofunda e goza imenso
saboreando em cada onda um novo alento e um
frágil recomeço;
*
a fortaleza do amor e da amizade
onde nobres sentimentos tomam conta dos seres
e os ligam entre si livres e felizes de verdade;
*
a libertação do sonho no amor e na criação
onde o jogo sensível é um desejo irreprimível
a irrigar quente o ar e os fluídos do coração;
*
o sacrifício nobre e o preço da felicidade
onde a medida justa do indivíduo
aspira a elevar-se ao valioso critério da humanidade;
*
o projecto e o cuidado com o futuro
onde a realização entre os seres é uma obra plural
impossivel de ser fechada em qualquer prisão ou muro;
*
a alegria do efémero em cada minuto e acto
onde o cultivo da existência é total e concreto
e a felicidade desliza sem parar no hiato;
*
o poder da invenção e do mistério
onde o amor e a presença se escolhem
sem se fechar no casamento ou no adultério;
*
É um navio solitário sobre a vida e no inverso o silêncio
onde o rio solitário se aprofunda e torna imenso
até ser em cada onda novo alento e um frágil recomeço;
Fortaleza do amor e da amizade
na senda da felicidade
que é o sonho da humanidade;
Elevação e cuidado pelo futuro
onde a poesia se inflama pela liberdade
e por derrubar o muro!...

Véu de Maya

domingo, 30 de novembro de 2008

À JANELA

À JANELA_EDVARD MUNCH [Ouvir Mozart- Piano Concerto nº 21-barra de vídeo]
*
Sonho que alcanço toda a poesia do Mundo
Onde se ilumina a embriaguês do mistério,
E que recolho no seu ar o cheiro profundo
Das vidas inundadas pelos risos do efémero...

*
Sonho que viajo em nave espacial a toda a hora
Onde brilha a luz dos astros e as cores da fantasia,
E que tudo sopra veloz na esfera estrelar da poesia
Como o eterno que é dor e alegria sem demora...

*
Sonho que ando no carrossel da felicidade do Mundo,
E que ele é a cada instante a beleza do amor profundo
Como a roda sagrada de todas as encruzilhadas...

*
Mas, ironicamente, quanto mais vou girando,
E nos carrosséis da felicidade vou andando,
Mais vogo, triste, elos vazios de rodas descarriladas...



Véu de Maya

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

PRESENTE DE AMIGO EM DIA DE ANIVERSÁRIO

GUARDA-CHUVAS_P. AUGUSTE RENOIR


[ouvir Celine Dion-Think Twice-barra de vídeo]

Obrigado pela lindas imagens que me enviaste, por email...Não tenho à mão imagens tão belas para retribuir...envio-te apenas estas palavras que muitas vezes também são bonitas!
As palavras dizem, contam, descrevem, provam, justificam e explicam. Com palavras podemos fazer muitas coisas às pessoas: prometer, elogiar, bendizer, amaldiçoar, ameaçar e ofender. Com elas acariciamos e exprimimos o nosso amor; com elas fazemos mal e ferimos, projectando o nosso ódio.
Há palavras que abatem, arrasam, aniquilando uma pessoa, mas há também as que nos acalentam, nos pôem em pé, nos sustentam e dão vida.
O que nos dizem pode tornar-nos felizes, ou então, empurrar-nos pela ladeira da desventura e infelicidade. conheçamo-las e estejamos conscientes do seu poder. Respeitemo-las e saibamos usá-las para que se tornem um arma dócil e obediente, fazendo exactamente o que queremos que elas façam, não prejudicando ninguém.
Apreciemo-las no seu poder e contemplemo-las nos matizes com que se apresentam: há palavras de muitas cores e podem ser proferidas em muitos tons, traduzindo a alma de quem as diz.Por isso podem ser perigosas, traidoras, revelando aos outros o que não lhes queremos mostrar!

Eugénio de Andrade diz-nos a seu respeito;

são como um cristal
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio,
Outras,
Orvalho apenas,

Secretas vêm, cheias de memória.
inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem,

Desamparadas, inocentes,
leves.
tecidas são de luz
e são a noite
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta?
Quem as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?


Pois é as palavras seduzem-nos:
como o cristal, são duras e, simultaneamente, frágeis e delicadas!
Conseguem camuflar os maiores segredos do mundo!
Atraem-nos pelo brilho e musicalidade; simultaneamente são capazes de nos devorar, precipitando-nos no mais fundo dos abismos.
Elas são, de facto, no dizer de Eugénio, como um cristal. E, com ele, perguntamos também: Quem as escuta? Quem as recolhe, assim, cruéis, desfeitas, nas suas conchas puras?
Não dês importância a estas reflexões.
Aceita só um abraço.
Miguel Leitão, 25 de Novembro, 2008





quarta-feira, 26 de novembro de 2008

O ALTO VALOR DA EDUCAÇÃO

O NASCIMENTO DE VÉNUS_SANDRO BOTTICELLI
[ouvir Celine Dion-Power of Love-barra de vídeo]
*
É o alto valor da educação na missão das instituições
onde se levanta o contributo e a riqueza de cada geração
para o futuro de todas as gerações;
*
a renovação da herança e o testemunho
onde cada geração honra o tesouro recebido
para o passar com marca original ao futuro enriquecido;
*
a aflição e o incrível vazio
onde as novas gerações se afundam
quando as anteriores perderam o brio;
*
o amor entre gerações
onde sonham a vida e a felicidade e o futuro
como pilares e orgulho de todas as civilizações;
*
o declínio e o desespero
onde a sociedade e a cultura se desagregam murchas
quando perdem o sal da vida que é o seu melhor tempero;
*
O sopro da liberdade e as colinas da ambição
onde transbordam no cidadão e nas gerações
o amor pelo universal e o triunfo das realizações;
*
a distância e o choque entre as gerações
onde se separam ou guerreiam sem laços nem sorte
quando a felicidade esmorece e a vida naufraga sem norte;
*
É amor e conflito entre gerações,
atraso e progresso nas civilizações,
herança e testemunho
sobre o que é pobre e valioso e profundo;
Declínio e desespero,
quando na vida e na cultura
falta a felicidade e o tempero;
Cuidado e realização
na missão de cada geração,
e a poesia como amor e libertação!...



Véu de Maya

sábado, 22 de novembro de 2008

A RODA TRÁGICA

A GRANDE GUERRA_RENÉ MAGRITTE

[Ouvir Amália Rodrigues-com que voz- barra de vídeo]
*
É a génese dos seres e a roda do acontecer
onde a unidade primordial os condena
à alegria do viver e ao inexorável morrer;
*
o sonho da infância e a verdade da recordação
onde a vida da criança está para o adulto ser
como a luz do Sol está para o amanhecer;
*
o tempo da fadiga e a bela ilusão
onde flutua na expectativa do que irá acontecer
e se rejubila no enigma de cada reaparecer;
*
a ambição festiva e a celebração do viver
onde cai no nó de que só é forte o querer
que fortalece mais a vontade e o poder;
*
a força das coisas e a aventura humana
onde a liberdade erra e sonha mas fica presa
porque a vertigem a faz rodopiar depressa
*
a bela-alma e o estar-desperto no Mundo
onde a fuga ingénua ou a ancoragem segura
são os indeléveis da travessia de fundo;
*
o despertar, a passagem e o morrer
onde todo o ser é transitar, viver e sofrer
na alegria trágica da vida sempre a renascer;
*
É o ser e a roda do acontecer,
o poder do acaso, do jogo, e do caos
onde a vida nasce transita e volta a morrer;
Querer mais para lá do desejo do poder
onde o sofrer não mata o querer
mas só o querer resigna o sofrer;
Trágica alegria da cósmica presença,
na vida humana, rápida e forte,
e na poesia, serena, é a sua sorte!...


Luís Lourenço





quarta-feira, 19 de novembro de 2008

VIDAS SAGRADAS E PAIXÕES ARDENTES

MAGIA NEGRA_ RENÉ MAGRITTE

[ouvir Moonlight Sonata_Beethoven-barra de vídeo lateral]

*
Vidas claras, quentes e sagradas,
Das paixões ardentes na nascente
Como o Sol das praias vadias no poente,
E a embriaguês louca nas madrugadas...

*
Desfolho uma orquídea envergonhada,
Atiro-a pró céu, qual ardente estrelinha,
Partilho com ela à sedução dançarina
E aos risos do prazer, brisa na madrugada...

*
Os jactos de prazer escorrem à flor da pele
Nossos beijos são doces como o mel
Enfeitiçou-nos o doce sabor às amoras...

*
Somos a vida e o navio, e a ilha voluptuosa,
E, ingenuamente, na madrugada silenciosa
Qual paixão? o encanto das nossas horas!...

véu de Maya


segunda-feira, 17 de novembro de 2008

HORAS RUBRAS

O SEDUTOR_RENÉ MAGRITTE[ouvir Beethoven-Fur Elise- barra de vídeo lateral]
*
Horas profundas, lentas e caladas
Feitas de beijos rubros e ardentes,
De noites de volúpia, noites quentes
onde há risos de virgens desmaiadas...

*
Oiço olaias em flor às gargalhadas...
Tombam astros em fogo, astros dementes,
E do luar os beijos languescentes
São pedaços de prata pelas estradas...

*
Os meus lábios são brancos como lagos,
Os meus braços são leves como afagos,
Vestiu-os o luar de sedas puras...
*
Sou chama e neve e branca e misteriosa..
E sou, talvez, na noite voluptuosa,
Ó meu Poeta, o beijo que procuras!


Florbela Espanca

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

A VOZ DOS VENTOS

A VOZ DOS VENTOS_RENÉ MAGRITTE[ouvir-Cavaleiro Monge-Mariza-barra de vídeo, a partir do replay]
*
É o sonho da vida no voo da verdade
onde a verdade não levanta voo da vida
mas voa sobre a vida na sua própria pluralidade;
*
o projecto da vida no sonho da liberdade
onde o projecto não é a verdade ser senhora da vida
mas a vida ser senhora do projecto e da verdade;
*
o percurso e a pluralidade dos caminhos
onde a verdade sobre a vida é por ela deambular
e dela exalar o cheiro de seus perfumados cadinhos;
*
a roda da afirmação e a jubilosa alegria
com que a frágil verdade e a preciosa vida
chegam a entrelaçar-se numa pujante harmonia;
*
o grande cansaço e a perigosa fadiga
onde a verdade pode escapar-se da vida
e a sua paixão alienar-se numa triste fantasia;
*
a contradição da vida no segredo universal
onde a dor abundante e a escassez da alegria
ocultam mum misterioso véu o seu ser primordial;
*
a bravura da vida à hora da realidade
onde a liberdade quebra a casca da fantasia
e imprime ao projecto toda a garra e veracidade;
*
É o sonho da vida no voo da verdade
e a viagem da vida no sonho da liberdade;
a alegria plena e a absoluta aspiração
na roda sagrada da afirmação
onde a vida e a verdade podem chocar
em ardente e trágica contradição;
A bravura da vida à hora da realidade
onde a liberdade sem cortar com a fantasia
é ela própria a rainha e a felicidade!...



Luis Lourenço

terça-feira, 11 de novembro de 2008

O CAMAROTE DO AMOR

CAMAROTE DO AMOR_PIERRE A.RENOIR[Because You loved me- Celine Dion- no replay- barra de vídeo]
*
A poesia do amor, a eterna!
É como a felicidade que dança
Nos olhos de uma criança
E que só com o amor se alcança.
*
Com as vestes da fantasia
Abre as portas ao mistério.
E com os acordes da alegria
Toca o insensível do Universo.
*
Mas como neste jogo é nada,
Leve sombra do viajante na estrada.
Acrescenta o pleno da alegria
A cada instante de vida dourada...
*
Como o céu numa noite estrelada,
E o orvalho nos alvores da madrugada.
E como a bravura dos que a trazem ao colo
A emoção do Mundo vertida em leve esperança...
*
A poesia do amor, a eterna!
É como a ilusão que brilha
Nos olhos de uma criança.
E que só com a paixão se alcança!...


Luís Lourenço

sábado, 8 de novembro de 2008

A CHAVE, A MÃO E A PALAVRA

A CHAVE E A MÃO_TAMARA DE LEMPICKA
[I Surrender-Celine Dion-no replay, barra de vídeo]
*
É a vida do Mundo no sopro da linguagem
onde o pensamento é como um pássaro longínquo
que mal entardece numa voa logo para outra paragem;
*
a variedade do ser no voo do pensamento
onde a palavra não é só o sémen da realidade
mas a fonte e o brilho da paixão pela eternidade;
*
a brisa da liguagem nas brechas da realidade
onde o véu enganador do fragmento e da separação
volta a deixar ver inteira e clara a sua primordial união;
*
o espelho do ser e do horizonte
no eros da linguagem e do pensamento
onde ambos se banham na mesma fonte;
*
um raio de luz na névoa do ser
onde a palavra acaricía a frescura dos sentidos
e ao silêncio do pensar os volta a trazer
depois de adormecidos;
*
o voo da inspiração e do inefável
onde se juntam a núvem e o Sol e a promessa
do que no Mundo só é real se não se construir à pressa;
*
o amor do pensar na estética da palavra
onde a vida se aquece na lareira do ser
como os foguetes bailam nas horas da festa brava;
*
É a vida do Mundo no sopro da linguagem
e a brisa da linguagem nas brechas da realidade
onde o véu da aparência mostra agora a claridade;
O espelho do ser e do horizonte
a despertar da soberana fonte
onde todo o sentido é uma ponte;
O berço da inspiração e da aventura
onde todo o sentido já adormecido
volta a voar na poesia enriquecido!...



Luís Lourenço

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

HOMENAGEM À POETISA CECÍLIA MEIRELES

A PRIMEIRA SAÍDA_PIERRE A.RENOIR

[escutar música de Celine Dion-Im alive-barra de vídeo ao lado]
*
A vida só é possível
reinventada.
Anda o Sol pelas campinas
e passeia a mão dourada
pelas águas, pelas folhas...
Ah! tudo bolhas
que vêm de fundas piscinas
de ilusionismo...mais nada.

Mas a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

Vem lua, vem, retira
as algemas dos meus braços
Projecto-me por espaços
cheios da tua Figura.
Tudo mentira! Mentira
da lua, na noite escura.

Não te encontro, não te alcanço...
Só...no tempo equilibrada,
desprendo-me do balanço
que além do tempo me leva.
Só- na treva,
fico:recebida e dada.

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possivel
reinventada.


Cecília Meireles

terça-feira, 4 de novembro de 2008

A DESCOBERTA DO FOGO

A DESCOBERTA DO FOGO_RENÉ MAGRITTE [Escutar na barra de vídeo ao lado All By Myself de C.Dion]
*
É silêncio e a vida do pensamento
onde o eterno se reconcilia com o efémero
e o volatiliza no que nele é simplemente etéreo;
*
a encruzilhada e os oraculares caminhos
onde o gesto criador se grava no eterno
como os sulcos primordiais nos pergaminhos;
*
O absoluto do ser e a arte no objecto
onde criar é uma luminosa expressão
da liberdade na arte e da felicidade no afecto;
*
a fonte apetecível e a sua irradiação
onde sem quem for que aí habite
não pode deixar de pressentir o convite;
*
a querida entrada e a confortável estadia
onde o cume da verdade, do sonho e do mistério
é amor donde nunca advém adultério;
*
a paragem e o sopro libertador
onde ao momento vem a eternidade
e à palavra a revelação da verdade;
*
o laço profundo e a sagrada comunhão
onde o tempo que é usura e a eternidade que é sonho
se fundem numa festiva e solene união;
*
É o silêncio e a vida do pensamento
eterno e efémero juntos num só momento;
Ser e absoluta criação no objecto
liberdade nas artes e felicidade nos afectos
fonte, irradiação e convite;
Paragem e sopro libertador
onde o tempo é instante e eternidade
e a palavra é colina e liberdade!..

Luís Lourenço

sábado, 1 de novembro de 2008

O LEITO DA MORTE

O LEITO DA MORTE_EDVARD MUNCH
[na barra de vídeo ao lado escutar Requiem de Mozart]
*
É o voo misterioso ao sonho da morte
onde flutua na incerteza de saber qual será a sua sorte
e se do nada poderá ainda renascer igualmente forte;
*
a certeza absoluta de que essa palavra fatal
marca na vida dos indivíduos um insondável ponto final
mas é na espécie o retorno da vida ao seu vigor seminal;
*
o respeito pelo véu e pela dignidade dos mortos
onde florimos e choramos a triste despedida
dos que viveram como nós a dor e a alegria da vida;
*
a viagem para além da vida
onde se efabulam recompensas e castigos
e os crentes intercedem a Deus nos seus abrigos;
*
a dissipação da morte em poeira e nada
onde o descrente só imagina a fétida matéria
cuja energia chegou ao fim no fim da estrada;
*
o receio de morrer antes de ter vivido
porque na órbita precária do naufrágio e do navio
o mortal se afundou num calafrio insondável e sombrio;
*
o espelho da morte no sonho da vida
onde toda a acção tem por horizonte tal medida
e a vida paira frágil mas preciosa de ser vivida;
*
É o voo misterioso ao sonho da morte
e a bela incerteza flutuando na vertigem
de poder renascer igualmente forte;
Respeito pelo véu e pela dignidade dos mortos
flores e choros na triste despedida
dos que viveram como nós uma humana medida;
Efabulação sobre recompensas e castigos
ou dissipação da energia em poeira e nada
é o enigma da vida perante a última morada!...

Luís Lourenço

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

O PODER DAS PALAVRAS

PLANTA EXÓTICA DA TAILÂNDIA

***

As palavras sempre ficam. Se me disseres que me amas, acreditarei.

Mas se me escreveres que me amas acreditarei ainda mais.

Se me falares da tua saudade entenderei.

Mas se me escreveres sobre ela, eu a sentirei junto contigo.

Se a tristeza vier até consumir e me contares eu saberei.
Mas se a descreveres no papel, o seu peso será menor.

Lembra-te sempre do poder das palavras.

Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo.


Silvana Duboc

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

terça-feira, 28 de outubro de 2008

O SABOR DAS LÁGRIMAS

O SABOR DAS LÁGRIMAS_RENÉ MAGRITTE
*
Já que me comoves, Universo!
Com a tua imensidão sagrada
e abres para mim uma janela inocente
para olhar na tua realidade velada;

*
E me prenches também, Generoso!
Com os sonhos que em ti deslumbro
nos abismos trágicos do teu mistério
deixando-me escutar a voz dos oráculos
e aprofundar as suas chaves sublimes
no segredo do teu enigma profundo;

*
E me sopras ainda, Guerreiro!
Os acordes sublimes do teu poder
no auge das clareiras e dos gritos
orquestra a espalhar a tua música
sibilina, reconfortante e telúrica
pela noite sombria e sonâmbula
dos naufragos bloqueados e aflitos

*
Ousa conduzir-me então, Palavra!
Ao teu altar sagrado e cifrado
abraça na tua força a leveza dos ousados
e proclama por mim aos destinos elevados
que se o Reino tão nobre e poderoso
continuar cifrado neste silêncio calado
a vida nunca deixará de ser um fardo gelado
e o Mundo um palco sombrio e desgovernado!...


Luís Lourenço

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

QUADRAS POPULARES

JOVEM A EMPOAR-SE_GEORGES SEURAT
[Dedicado à minha mãezinha]

*
Dá-me um beijo moreninha
Darei-te a paga dobrada
Quem pede um beijo dá dois
Não lhe fica a dever nada

Não lhe fica a dever nada
Nada lhe fica a dever
Dá-me um beijo moreninha
Serás minha até morrer

*
Maria da Graça é uma
Cachopa de olhos em brasa
Vive sozinha e não fuma
Mas tem cinzeiros em casa
*
Quem tem janelas de vidro
Não pode atirar pedradas
Eu fui atirar às vossas
E achei as minhas quebradas
Tradição Popular



domingo, 26 de outubro de 2008

VARIAÇÔES EM SOL MAIOR

RAPARIGA COM GUITARRA_TAMARA DE LEMPICKA

* *
És o rio que corre
e eu o barco que navega
És o vento que sopra
e eu o vulcão à espera;

* *
És o sol que me aquece
e eu o luar na madrugada
És a estrela que brilha
e eu os teus gozos acordada;

* *
És os raios de Sol
e eu a tua aventura
Eu a leveza do ar
e tu a gaivota que procura;

* *
És o riso nos meus olhos
e eu a paixão que estremece
Eu a canção que enternece
e tu a explosão que perdura...

* *
És as cerejas nos meus lábios
e eu o rio nos teus desejos
Eu o sabor a morangos
e tu a volúpia dos meus tangos.

Luís Lourenço