terça-feira, 22 de abril de 2008

No mundo não há nem dentro nem fora.

"Do mesmo modo que Demócrito aplicou os conceitos de« em cima e em baixo» os filósofos em geral aplicam o conceito de «dentro e fora» à essência e à aparência do mundo: eles pensam que com estes sentimentos profundos penetramos no interior e nos aproximamos do coração da natureza. Mas estes sentimentos não são profundos senão na medida em que juntamente com eles, de maneira dificilmente perceptível, vêm frequentemente associados certos grupos complexos de pensamentos que designamos por profundos: um sentimento é profundo porque temos por profundo o pensamento que o acompanha. Mas o pensamento profundo pode estar muito afastado da verdade, como por exemplo todo o pensamento metafísico: se abstrairmos do sentimento profundo os elementos do pensamento que aí estão misturados resta o sentimento forte, e este não garante nada a não ser ele mesmo, tal como a crença forte não prova senão a sua força e não a verdade daquilo em que se acredita"Nietzsche, Humano, Demasiado Humano

4 comentários:

Clara disse...

"Mas o pensamento profundo pode estar muito afastado da verdade, como por exemplo todo o pensamento metafísico"

É sempre uma lição ler os teus textos.

Beijinhos

un dress disse...

pois...

e para mim essa falta de limites

tem levado tempo

a

per cor re r... :)





~

un dress disse...

ou deverei antes dizer

esse sentido do...

i limitado!?

luis lourenço disse...

A crenças incontornáveis por imperativos vitais mesmo que não correspondam à realidade são muito simplificadoras; Sendo embora erros, são erros tâo fundamentais que circulam como se fossem verdades fundamentais.

bjinho