terça-feira, 28 de outubro de 2008

O SABOR DAS LÁGRIMAS

O SABOR DAS LÁGRIMAS_RENÉ MAGRITTE
*
Já que me comoves, Universo!
Com a tua imensidão sagrada
e abres para mim uma janela inocente
para olhar na tua realidade velada;

*
E me prenches também, Generoso!
Com os sonhos que em ti deslumbro
nos abismos trágicos do teu mistério
deixando-me escutar a voz dos oráculos
e aprofundar as suas chaves sublimes
no segredo do teu enigma profundo;

*
E me sopras ainda, Guerreiro!
Os acordes sublimes do teu poder
no auge das clareiras e dos gritos
orquestra a espalhar a tua música
sibilina, reconfortante e telúrica
pela noite sombria e sonâmbula
dos naufragos bloqueados e aflitos

*
Ousa conduzir-me então, Palavra!
Ao teu altar sagrado e cifrado
abraça na tua força a leveza dos ousados
e proclama por mim aos destinos elevados
que se o Reino tão nobre e poderoso
continuar cifrado neste silêncio calado
a vida nunca deixará de ser um fardo gelado
e o Mundo um palco sombrio e desgovernado!...


Luís Lourenço

15 comentários:

Lili disse...

o sabor da lágrima é sempre salgado, e sempre tráz lembranças amargas e arrependimentos azedos... hahaha
beijosss

Cleo disse...

Com um poema tão lindo, não há lágrimas no Universo, e a vida nunca será um fardo gelado e o Mundo será palco só de maravilhas.

"abraça na tua força a leveza dos ousados", magnífico.

Feliz quarta-feira.
Beijos
Cleo

gotadevidro disse...

Presente a beleza de um poema, um chamamento ao Universo.

Fantástico

um beijo

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

O universo de fato me comove, mais ainda o fato de o ter recebido como presente de batismo assim que vim ao mundo - não importa qtas vezes o tenha feito.
As palavras me preenchem e me escrevem nas linhas da vida. E assim sigo, borboleteando por aí!
Beijos e borboleteios!

Quase Trinta disse...

As minhas lágrimas tem sabor diferentes... depende do motivo que as fazem cair....

tossan disse...

Muito lindo!

Pela noite
sombria
e sonâmbula
dos naufragos
bloqueados e aflitos.

Abraços

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Luís, belíssimo poema, tão belo que não tenho adjetivos para o qualificar... Só...SUBLIME...
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

WOLKENGEDANKEN disse...

Ha lagrimas que pesam e lagrimas que libertam .....

vida de vidro disse...

Perfeito, esse final! Cada vez mais nos parece o Mundo um palco sombrio e desgovernado. Que a Palavra o salve! **

mariam disse...

Luis,
intenso!este poema.
nem sei como comentar...
quem será esse "Universo"...
recuso-me a acreditar que "a vida nunca deixará de ser um fardo gelado"

um grande sorriso :)
mariam

Carla disse...

elevam-se guerreiras as palavras a um generoso universo que abafa o sabor salgado das lágrimas
beijos

~pi disse...

eu às palavras em tempos

pedi redes

e depois terra sempre terra

árvores

um bolbo pequenino e...

e água :)




beijo,




~

Lu disse...

Ah, as palavras...
Que criam e recriam um mundo de possibilidades e reflexões, poemas e belas canções!
Beijo!

rosasiventos disse...

... a

in-ven-tar de-va-ga-r o teu


nome,

EternaApaixonada disse...

Perfeito, querido poeta!
Mais uma rica página que nos presenteia.
Beijos