sábado, 22 de novembro de 2008

A RODA TRÁGICA

A GRANDE GUERRA_RENÉ MAGRITTE

[Ouvir Amália Rodrigues-com que voz- barra de vídeo]
*
É a génese dos seres e a roda do acontecer
onde a unidade primordial os condena
à alegria do viver e ao inexorável morrer;
*
o sonho da infância e a verdade da recordação
onde a vida da criança está para o adulto ser
como a luz do Sol está para o amanhecer;
*
o tempo da fadiga e a bela ilusão
onde flutua na expectativa do que irá acontecer
e se rejubila no enigma de cada reaparecer;
*
a ambição festiva e a celebração do viver
onde cai no nó de que só é forte o querer
que fortalece mais a vontade e o poder;
*
a força das coisas e a aventura humana
onde a liberdade erra e sonha mas fica presa
porque a vertigem a faz rodopiar depressa
*
a bela-alma e o estar-desperto no Mundo
onde a fuga ingénua ou a ancoragem segura
são os indeléveis da travessia de fundo;
*
o despertar, a passagem e o morrer
onde todo o ser é transitar, viver e sofrer
na alegria trágica da vida sempre a renascer;
*
É o ser e a roda do acontecer,
o poder do acaso, do jogo, e do caos
onde a vida nasce transita e volta a morrer;
Querer mais para lá do desejo do poder
onde o sofrer não mata o querer
mas só o querer resigna o sofrer;
Trágica alegria da cósmica presença,
na vida humana, rápida e forte,
e na poesia, serena, é a sua sorte!...


Luís Lourenço





26 comentários:

Cidinha disse...

Luis

O movimento deste poema fala da nossa transitoriedade e da nossa constante transformação.O tempo passa e deixa marcas que transformamos em recordações..será como uma forma de "segurar" o tempo? Afinal, o que é o tempo?Talvez, tudo isso é que realmente nos dá a dimensão da nossa "humanidade"...um ser que se movimenta no tempo...um ser que deseja, que erra, que se emociona..enfim, que vive.

Abraço
Cidinha

Duarte disse...

mulachastersNa distancia dos quilómetros e do tempo ouvir Amália significa vaticinar que dificilmente voltaremos a ouvir cantar assim.

A combinação obra pictórica e poema, repetindo artista e autor me parece um grande acerto e um enriquecedor fim.

Abraços

Lu disse...

Visitando seu blog e desejando um ótimo domingo.

Seu poema é lindo. A vida e as possibilidas, tempo e observações, de quem sente e escreve o que vem a mente e o que pensas também.
Beijo!

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

O harmônico movimento que se lê aqui é divino!
Aprender a morrer para renascer mais forte não é uma lição fácil de aprender. Libertar as asas também não. É preciso coragem e não ter medo de cair!
Enquanto isso, segue o destino fiando nas rodas das vidas...
Não o que seria de nós se não houvesse a poesia para tornar mais leve a existência, para dar um toque de leveza ao estado da matéria bruta no qual no encontramos!
Obrigada por teus versos, amado poeta!
beijos e borboleteios!

Um olhar disse...

Oi amigo, belo poema...as recordações são marcas de uma vida.

não consegui mais postar no meu blog e estou de volta (agora com "um olhar"), espero q me reconheça...

bjos e lindo domingo prá vc!

Rosa Carvalho disse...

Boa tarde! Nossa como amo ouvir a inesquecível Amália. Confesso que despertar ao som de um fado e de um poema maravilhoso o domingo tem que ser belo.
Falar de recordações temos que pensar em momentos felizes e até mesmo alguns que tenham sido difíceis e tristes.
A vida para ser vivida plenamente; tem que passar por etapas e com o tempo podemos recordar do crescimento que obtivemos no transcorrer de nossa caminhada.
Bom domingo. Abç Rosa

mdsol disse...

:))

isis de la noche disse...

el ritmo de tu poema es como el ritmo de la vida.

El morir y el renacer constante... aún antes de partir de este mundo.

Un abrazo ..

María disse...

Muy bonito poema, renacer y volver a morir para volver a recomenzar.

Me encantan las imágenes, son bellas.

Saludos.

~pi disse...

ciclos-ciclos intermináveis de vida sois e sombras,

[ e nem sempre poesia

serena.



beijo

EternaApaixonada disse...

*****

Um início de semana muito feliz ao passar pelo seu blog, querido poeta!
Mais um momento de reflexão poética!
Um tema que nos aflige e nos encanta com suas palavras.
Outro post perfeito!
Tem um presente para você no Coisas da Helô.
Lindos dias!
Beijos com meu carinho.

*****

vida de vidro disse...

Louca roda que não para de girar. E nela estamos. **

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Lindo poema sobre a transitoriedade.
Meu Véu:
Publiquei no Blog Galeria sobre 3 versões cinematográficas de Romeu e Julieta: 36, 68, 96. Depois dê uma passadinha no meu outro Blog onde publico sonetos de Shakespeare e outras obras do bardo:
http://poemasscancoes.blogspot.com
Um abraço,
Renata

Clara disse...

Luís,

um belo poema acompanhado pela belíssima voz de Amália é um puro luxo! Maravilhoso!

Beijinhos

Ana Rita disse...

Cai uma bomba
Vinda do céu,
E a noite desce
No horizonte
Dos meus sonhos...

Beijos

JPD disse...

Olá Veu

Belíssimo percurso à volta do ser e Estar.

Cleo disse...

Esse poema é a roda da vida a girar, transformar, nascer e renascer, como a Fênix. Nascer e renascer, esta é a aventura humana na terra.
Fazer essa travessia é para os nobres de espírito.

"onde o sofrer não mata o querer
mas só o querer resigna o sofrer";

achei lindo estes versos,

Maravilhoso momento.
Beijos de rimas prá você.
Cleo

Isabelle Dias ~ disse...

Olha quem apareceu aqui... eba!
lindo poema. Lembranças, sonhos, "vida".
Sempre palavras que são puro encanto.

É mesmo de se lisonjear!

Beijinhos

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Luís, Não podia deixar passar este dia, sem te dar os meus sinceros parabéns por mais um aninho... Que sejas muito feliz meu Amigo, são os meus sinceros votos!!!
Deixo-te um abraço muito apertado desta tua Amiga do coração,
Fernandinha

EternaApaixonada disse...

*****

Que seu dia esteja transcorrendo pleno de felicidade!
Tenha uma linda noite!
Beijos com meu carinho.

*****

heretico disse...

poema de uma lucidez de cristal. e de uma sabedoria serena.

"...o poder do acaso, do jogo, e do caos. onde a vida nasce transita e volta a morrer."

belíssimo.

abrços

Deusa Odoyá disse...

Olá meu amigo!
Passei para lhe agradecer suas palavras tão carinhosas em meu blog.
Obrigado...
Não sou portuguesa, mas eu escutava muito essa sensacional fadista Amália Rodrigues.
O tempo vive em rotas de transformações, e esse poema nos diz tudo.
beijos de luzes em seus caminhos.
De sua amiga do lado de cá.
Regina Coeli.

NAELA disse...

Luis mais uma imagem excelente que da cor as tuas palavras!
Um beijo terno

Graça Pires disse...

"É o ser e a roda do acontecer,
o poder do acaso, do jogo, e do caos onde a vida nasce transita e volta a morrer". A roda da vida que tão bem descreve. Um abraço.

dona tela disse...

Venha conhecer os meus tios.

Muito obrigada pela atenção.

Cleo disse...

Oi Luis Lorenço, soube que esteves de aniversário ontem, vim deixar meu abraço de felicidades, e que a vida te presenteie sempre com muitas alegrias, amor, saúde e tudo o mais que desejares.
grande abraço e beijos!
Cleo