quinta-feira, 27 de novembro de 2008

PRESENTE DE AMIGO EM DIA DE ANIVERSÁRIO

GUARDA-CHUVAS_P. AUGUSTE RENOIR


[ouvir Celine Dion-Think Twice-barra de vídeo]

Obrigado pela lindas imagens que me enviaste, por email...Não tenho à mão imagens tão belas para retribuir...envio-te apenas estas palavras que muitas vezes também são bonitas!
As palavras dizem, contam, descrevem, provam, justificam e explicam. Com palavras podemos fazer muitas coisas às pessoas: prometer, elogiar, bendizer, amaldiçoar, ameaçar e ofender. Com elas acariciamos e exprimimos o nosso amor; com elas fazemos mal e ferimos, projectando o nosso ódio.
Há palavras que abatem, arrasam, aniquilando uma pessoa, mas há também as que nos acalentam, nos pôem em pé, nos sustentam e dão vida.
O que nos dizem pode tornar-nos felizes, ou então, empurrar-nos pela ladeira da desventura e infelicidade. conheçamo-las e estejamos conscientes do seu poder. Respeitemo-las e saibamos usá-las para que se tornem um arma dócil e obediente, fazendo exactamente o que queremos que elas façam, não prejudicando ninguém.
Apreciemo-las no seu poder e contemplemo-las nos matizes com que se apresentam: há palavras de muitas cores e podem ser proferidas em muitos tons, traduzindo a alma de quem as diz.Por isso podem ser perigosas, traidoras, revelando aos outros o que não lhes queremos mostrar!

Eugénio de Andrade diz-nos a seu respeito;

são como um cristal
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio,
Outras,
Orvalho apenas,

Secretas vêm, cheias de memória.
inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem,

Desamparadas, inocentes,
leves.
tecidas são de luz
e são a noite
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta?
Quem as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?


Pois é as palavras seduzem-nos:
como o cristal, são duras e, simultaneamente, frágeis e delicadas!
Conseguem camuflar os maiores segredos do mundo!
Atraem-nos pelo brilho e musicalidade; simultaneamente são capazes de nos devorar, precipitando-nos no mais fundo dos abismos.
Elas são, de facto, no dizer de Eugénio, como um cristal. E, com ele, perguntamos também: Quem as escuta? Quem as recolhe, assim, cruéis, desfeitas, nas suas conchas puras?
Não dês importância a estas reflexões.
Aceita só um abraço.
Miguel Leitão, 25 de Novembro, 2008





8 comentários:

paula barros disse...

bom dia! Imagem muito bonita.

Sim, as palavras causas efeitos que desconhecemos o alcance delas.

abraços

gotadevidro disse...

As palavras quando ditas são aquilo que queremos que elas sejam. Quando escutadas podem então ter interpretações diferentes , tão diferentes que causam mal entendidos...

Mas usar a palavra pode ser muito belo

Um beijo e obrigada pela visita

bfs

gotadevidro disse...

Não disse, mas a tela é fabulosa.

Mesmo muito bela

beijo

mdsol disse...

Que bommmmmmmmmm! Tudo!

:)))

Carla disse...

perco-me sempre entre as palavras e as imagens...como se fossem parte integrante de mim
beijos e bom fim de semna

Mariz disse...

Parabéns! E que as palavras escritas não e confinem apenas aí...

seja feliz.

Ab.

M.

Mariz disse...

errata:... "SE confinem..."

Rembrandt disse...

"Las palabras están llenas de falsedad o de arte;la mirada es el lenguaje del corazón." William Shakespeare

Bella pintura de Dalí, bellas pinturas, todas!!!

Hermoso tu blog y agradezco tu visita en el mío.

Beijo