sexta-feira, 31 de outubro de 2008

O PODER DAS PALAVRAS

PLANTA EXÓTICA DA TAILÂNDIA

***

As palavras sempre ficam. Se me disseres que me amas, acreditarei.

Mas se me escreveres que me amas acreditarei ainda mais.

Se me falares da tua saudade entenderei.

Mas se me escreveres sobre ela, eu a sentirei junto contigo.

Se a tristeza vier até consumir e me contares eu saberei.
Mas se a descreveres no papel, o seu peso será menor.

Lembra-te sempre do poder das palavras.

Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo.


Silvana Duboc

18 comentários:

Cleo disse...

Linda planta.
As palavras são frágeis, mas são mágicas. Mas se as declararmos no papel, ganham força.
Linda escolha fizestes.
Beijos e uma sesta feliz!
Beijos.
Cleo

dona tela disse...

Olhe, desta vez deu-nos para sonhar...

Muito obrigada por todas as atenções.

Vivian disse...

...ciao belo!!

lindíssimo post!

já que as palavras sempre ficam,
deixo-as aqui como forma de carinhos e elogios pelo bom gosto
da página que eu não me canso
de vasculhar...

imagem lindaaa!
as flores exóticas lembram
feminilidade...

bjussss

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Ai palavras, ai palavras, que estranha potência a vossa!
As palavras realmente ficam!
Elas têm força... Gravam-se na mente, na alma... De beleza ou de tristeza...
Sou feita delas!
beijos e borboleteios

Cleo disse...

Véu de Maya!
Obrigada pelo carinhoso comentário.
Isso me incentiva a continuar assim. Acho às vezes o meu blog uma miscelânia, mas assim vejo as cores da vida, e também sou várias, tudo depende da hora, do momento, e sendo várias, sou única, viajo com minha alma onde existe a beleza e colho tudo que me traga alegria e felicidade.

Obrigada pelo carinho.
Um esplêndido fim de semana.
Beijos.
Cleo

Andrea Aragão disse...

Querido amigo.
Bonitas palavras da sua colega.
AS plantas? já as conhecia. Relamente são belas. Aqui no Brasil são chamadas de papagaio.
Bom fim de semana !

Flamenguista Roxo disse...

Lindo poema amigo, parabéns...show de bola é isso ai bela escrita.
Um abraço e uma boa semana a paz de cristo e o amor de maria.

João da Silva disse...

Maravilhoso pensamento. Sem palavras para expressar minha satisfação intelectual - orgástica mesmo - de acompanhar essas linhas.
Abraços fortes do João

mdsol disse...

Também será por isso que "blogamos"?

:))

Lúcia disse...

Lindo. E verdadeiro. Uma palavra é poderosa. Bem dita. mal dita. Regista-se.
Beijos

Papoila Sonhadora disse...

Não são as palavras que são importantes... Mas, as pessoas que as põem em prática. No dia em que o Ser Humano reparar que há uma grandeza no seu Ser, as palavras reduzir-se-ão a cinzas e o Homem será um estandarte da luz que todos procuramos,
Mt bem,
doce bj de encanto,
Sandra Ferreira,

EternaApaixonada disse...

*****
Querido poeta,
ausente involuntária e com saudades desse espaço lindo, que me faz sonhar!
Que interessante, andei planejando postar sobre essa exótica e maravilhosa flor... Já a conhecia através de uma imagem recebida de uma amiga portuguesa... Sintonias...
Parabéns por publicar o texto da Silvana Duboc! Uma escolha fantástica! Diz tudo e combina com você...
Obrigada pela fidelidade aos meus blogs, com comentários gentis.
Tenha um ótimo fim de semana!
Beijos com meu carinho.

PS: Já que consegui, finalmente irei ler os posts anteriores...

*****

um Ar de disse...

O poder das palavras!...
... e dos signos,
... e dos símbolos,
... e das imagens...
.
Assim, nos visitamos...
.
[Beijo...@]

Lu disse...

Olá!
Não tinha visto tal planta, belíssima sua flor.

Ah, as plavras tem poder!

Fico feliz que goste de meus textos. Acredito, escrever com simplicidade.
Bom sábado!
Beijo!

heretico disse...

a vertigem das palavras que se habitam...

belas as tuas.

abraços

Janete disse...

Obrigada pelo post!!!
Sinto-me lisongeada por sua visita!!!
Seu blog é show e de muito bom gosto!!!
Um grande abraço...

Anja Rakas disse...

Perfeito.
Tudo com seu acréscimo medido e simplista.
De facto...poucos sabem o poder que certas palavras tem...
Lindo.
Beijao

Clara disse...

Se me falares da tua saudade entenderei.

Mas se me escreveres sobre ela, eu a sentirei junto contigo.

Palavras tão ternas, tão meigas...