domingo, 7 de setembro de 2008

NÃO ME PEÇA DEFINIÇÂO

PLANTA TAILANDESA ...oferecida por Mariz ://www.soupoeluz.blogspot.com


Não me peça definição
se branco ou preto
que eu fico com o arco-iris
se quero ou não
que eu venho com um talvez
*
Minha única certeza
é que tenho dúvidas às dúzias
dos tempos prefiro o indefinido
e dos pontos o de interrogação.
*
Você dirá que sou do contra
e faço tudo de pirraça...
Posso até concordar
de tanto que detesto
discussão e bate-boca
*
Nosso caminho está cheio de escolhas, é certo
e quem for esperto logo acha a saída do labirinto
mas como em outra encarnação
devo ter sido um monge tibetano
não acredito muito em livre-arbítrio
e na capacidade de mudar o mundo
*
Quantas vezes não desviaram o curso dos rios
e veja só o desastre ecológico que deu...
*
No auge da confusão
fico esperando que os rolos mais cabeludos
se resolvam por si
*
obedecendo a não sei que lei
-provavelmente à do acaso, do caos
ou então à anti-lei de Murphy
Em matéria de esperar
como mulher nasci esperando
e se o sinónimo de paciência é Jó
aposto que houve alguma Jóana
que ganhava dele de longe mas
nem a Bíblia nem os historiadores registaram
Que lapso!
*
Estou vendo o dia
em que acabarei como vovó
na cadeira de balanço
enrolada num xale
olhando tranquila a bagunça em volta
como quem nada quer
esperando mais uns séculos
pelo dia em que um homem
-enfim-entenda uma mulher!

POEMA DE RENATA P.M. CORDEIRO

9 comentários:

sinhã, a. disse...

hoje, prendeu-me a flor. :-)

~pi disse...

femin


ino


es pe r


ar


[ de flor



~

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo, ontem vi aqui o poema do João da Silva, hj está o meu, é sempre bom variar. Mas não venho aqui para isso, venho porque estou deprimida. Há muitas pessoas na Blogosfera que não gostam de mim e que não poupam esforços para me pôr para fora daqui. Caluniam-me, inventam histórias.
Dê-me uma palavra, dê-me reconforto
Renata

mdsol disse...

:))))

JPD disse...

Aprecio esta antologia de poesia de editores da blogosfera.

Um abraço

intimidades disse...

de tanto esperar ja nao sei de que estou a espera

Jokas

Paula

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo, vc sabe que eu estava prestes a fechar o meu Blog por pressão de pessoas maledicentes, mas como recebi a solidariedade dos amigos,inclusive a sua, resolvi ficar e, de quebra, fiz novo post.
Apareça,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

Cruztáceo disse...

numa palavra: bestial!

heretico disse...

gosto muito do poema. e da "sabedoria" que exprime.

abraços