terça-feira, 27 de maio de 2008

A eterna criança

A Criança e a Marioneta, cerca de 1903, em pintura de Henri RousseauÓleo sobre tela, 100x 81 cm, Winterthur, Kunstmuseum


"Acreditamos que os contos e os jogos pertencem à infância, míopes que nós somos! Como poderíamos nós viver, não importa em qual idade, sem contos e sem jogos! É verdade que damos outros nomes a isto e lidamos com ele de forma diferente, mas é precisamente uma prova de que se trata da mesma coisa!-Porque a criança, ela mesma, considera o seu jogo um trabalho e os contos a verdade. A brevidade da vida devia guardar-nos contra esta separação pedante por idades-como se cada idade tivesse qualquer coisa de novo-e seria um desafio ao poeta mostrar-nos que o homem- mesmo com duzentos anos de idade- fosse capaz de viver verdadeiramente sem contos e sem jogos"Nietzsche; Opiniões e Sentenças à Mistura

4 comentários:

Mariz disse...

Salvé!
Reportando-me á sua frase introdutória:
só se mostra obscuro o caminho, quando a alma não se veste de clareza e/ou transparência.
Os nossos "egos", tornam tudo mais escuro sim!É lá que residem os demónios internos...mas fazer o quê?...policiar a mente até a domar? ou...corrigir?!
Nada é tão salutar para isso, que a escrita! - já de si, um acto solitário capaz de voar pelas palavras sem limites, debitadas a troco por vezes...de nada - pela mania de escrever e de dizer, talvez!
Essas letras que se encostam nas frases e se se entrelaçassem por sentidas no
coração...melhor para a escrita - hoje tão comercial, tão brejeira, tão nua...pela decadência.
Se se soltasse nos intervalos do sangue, no calor da alma, jamais ficaria á mercê de tanta ficção. e Aí a vida, subiria de tom e permaneceria ao mais alto palco, ignorando essa fraqueza, todas essas dores, tristezas, melancolias, ou outras coisas idênticamente acinzentadas....que por aí desembarcam nos écrans ou no papel.
Diametralmente oposto a tudo isso, brilharia o sol, numa eterna fusão de amor e alegria ímpares!....como num "estado puramente de Graça"!

Mariz

Espavo! - como em "Mu"(Lemúria)

luis lourenço disse...

Bravo!

Grato pela visita e pela intensa sintonia.

beijinho

mdsol disse...

o homem só é homem quando joga! Alguém disse.. O jogo é fundador do homem sim!
:)

herético disse...

jogamos, pois. sempre. e sonhamos.
não será esse o impulso vital?

(... e no entanto, há quem tenha a pretensão de definir as "regras do jogo" e em apropriar-se do Sonho)

abraços