sexta-feira, 3 de maio de 2013

NO TEU CORAÇÃO, TÃO INGÉNUO...

*****
No riacho dos teus olhos
Pressinto desejos sagrados,
Mas é só na bruma dos teus sonhos
Que eles ardem endiabrados!
*
Entre o azul do céu
E o céu da tua boca
Anda a minha boca louca...
E a tua outra, vermelha,
Como veludo dos lábios 
Em volúpia suspensa!
*
Na tua alma dói um encanto
Que à minha alma faz chorar...
Quero extirpar dela o pranto
Para fazer a tua alegria voltar;
*
No teu coração ingénuo
Que aos meus olhos não sabe fingir,
Arde louca a tua volúpia de amor,
*
Mas nos meus olhos
Que são espelho dos teus
Dança, errante, a minha paixão boémia
Que ao teu coração tão terno
Já não é capaz de mentir...
*
Se o vento te bate nas asas
E não te deixa voar como queres
Deita-te nas minhas asas
E aí, voarás como quiseres...

Véu de Maya

2 comentários:

Rembrandt disse...

Querido Poeta cuánta ternura hay en tu corazón que vuelcas tan maravillosamente en estos versos, te aplaudo.

Que linda versión de If you go away !!! Amo esa canción. Como siempre aquí disfruto de todo lo que generosamente nos brindas, gracias por tanto.

Muitos beijinhos pra vocé y bom semana.
REM

heretico disse...

primaveril - como morangos silvestres...

abraço