sábado, 27 de abril de 2013

NA TUA CANOA DE AFECTOS




*****
Ah, poeta!,-se me sonhas, primeiro, em laços entre diversos
E só depois me perfumas, como tatuagens sublimes, em versos!
Porque oscilas ainda em frente do meu espelho,
Como quem destila silêncios nas voltas do efémero?
*
Ah, vida! mas se te derramo, como sonhos em versos,
E vibro por nós, ao toque estrelar, nos teus afectos mais terrenos,
Como poderia eu arder só no pomar dos teus efémeros...
Sem subir também ao altar cifrado dos teus anéis secretos?
*
Ah, poeta!,-que ingénuo-tu-nos meus anéis e segredos?
A levitares, desde o riso ao silêncio até aos meus espelhos incertos!
 E porque não ardes logo na bolha dos meus feitiços efémeros,
Tal como o luar que passeia, sem dor, por entre oásis e desertos!
*
Ah, vida!-ninfa altiva dos meus versos!
Se subo, em silêncio, ao fundo dos teus riscos e desertos,
Mas volto logo ao gozo dos teus pomares e encantos
É porque, para além de ti, liberta das euforias e prantos, 
Qual outra poderia arder, em poesia, como canoa pura dos afectos?...


Véu de Maya


1 comentário:

Satya dev disse...

i like this blog very much...
Your posts are very useful and interesting.
I liked it very much and felt beneficial for all, if they have any doubt about the above mentioned topic.
We can learn some valuable tips from this blog. You can have a look on my Zopy Games,
I would be waiting for your valuable response. Thanks in advance.