segunda-feira, 2 de abril de 2012

QUE BELO RISCO!



*****
É o poder da dor e a bravura contra a opressão
numa âncora valiosa e exaltante
para arrancar o Mundo à escravidão;
*
a força da alegria e o sabor da libertação
onde tantas formas doentes e sombrias
são arrancadas à sua cruel desagregação;
*
a ligação entre os seres e a rebeldia
onde se compelem a união e a separação
para os obrigar à sua inevitável missão;

*
o conflito e a pobre discórdia
onde se afundam a vida e a cultura
quando os povos perdem o sentido da glória;
*
a lucidez e a nobre resignação
onde o enigmático e poderoso Universo
acolhe o homem nos confins da sua reflexão;
*
a perda do eu e o êxtase deleitável
onde nos véus da visão se perdem os detalhes do ver
mas na roda do ser um caos festivo volta a acontecer:
*
a dor do vazio e da escravidão
indeléveis na ausência de ser e na triste humilhação
vergonha do homem e a coragem pela libertação;
*
É vazio e dor, coragem e libertação
paradoxo de sermos rebeldia e união
lucidez e nobre resignação
O Universo como indelével e condição
nas fronteiras da própria reflexão;
Silêncio do ser na totalidade englobante
onde o homem é apenas um guerreiro vacilante:
E o mais belo risco a aposta permanente
que diz absoluta à vida: estou presente!...

Véu de Maya



*

4 comentários:

Sandra Subtil disse...

Querido amigo,
desculpa não vir tão frequentemente ao teu blog, mas normalmente aproveito quando tenho o bebé a dormir para visitar os blogs e o facto de aqui ter que ouvir e não apenas ler impede-me muita vez de o fazer, uma vez que tenho o pc sem som.
Desculpa. Beijo

VÉU DE MAYA disse...

Ah, Sandra!

Um computador sem som é como uma viola sem cordas.Quando ouvimos vídeos de música não interessa tanto a letra...a poesia, creio eu, é música e vida a transbordar em versos... Obrigado pelo carinho. E felicidades imensas para a mãe e menino...se ele vier a sair poeta por influência da mãe, que não seja apenas poeta...pois como sabes é muito difícil para qualquer artista, sobretudo poeta, viver da poesia...Toda a que ofereço nos meus sites é um luxo generoso, primeiro para mim, e depois para o Mundo...daí que ache que, tal como a música, a poesia possa, em alguns casos, ficar simplemente em vídeo para ser escutada apenas por quem o desejar... Não é a poesia que deve descer àos leitores, são eles que devem subir à poesia... E dos que não sobem lá não floresce ela. Antes de mais vejo a arte, seja ela qual for, pelo lado do artista..Se ela tiver público esteticamente genuíno isso então é uma coisinha fofa...risos. Que tenhas uma Páscoa Feliz.
abraço carinhoso´

Véu de Maya.

Parole disse...

Sim, está!Estamos... vacilantes, pois sempre haverá algo à aprender, riscos a correr, mas sim, estamos presentes.

Sua poesia, Luis, assim me parece, tem ares filosóficos.Está muito além da poesia.Tens uma compreensão humana fabulosa.Vc deve ser muito culto!

Feliz Páscoa.

Beijo.

Mar Arável disse...

Mais um traço musical

desenhado com palavras

Abraço