quinta-feira, 16 de abril de 2009

O INSTANTE DA VERDADE

NÉVOAS DE LUZ[Maria João Pires-nocturne 1 de Chopin-Barra de vídeo]
*
O instante é a vida na sua fonte primordial
donde irradiam infinitos segredos ainda por desvendar
e a inspiração de outros tantos mundos e futuros por inventar;
*
é o desafio do ininteligível à inteligibilidade
onde jamais a sabedoria se poderia fechar na verdade
pois no caminho há mais obscuridade do que claridade;
*
é o que fica por entender e perguntar
no que o véu da inteligibilidade deixa ver
sem ao fundo da ininteligibilidade deixar chegar;
*
é o voo do espírito ao mundo do ininteligível
que emerge sob o que o véu da inteligibildade deixa ver
mas mora num enigma profundo e irreprimível;
*
é o silêncio perante o que no ininteligível
se tornou depois de iluminado o véu claridade e inteligível
mas tão só um raio de luz projectado na obscuridade;
*
é o desconhecido na fonte por desvendar
onde respira suspensa e trémula a palavra
até o ininteligível em inteligibilidade se tornar;
*
É tudo:vida na sua fonte primordial
donde irradiam infinitos segredos por desvendar
e outros tantos mundos e futuros por inventar;
Desafio do ininteligível à inteligibilidade,
caminho onde erra a obscuridade até ser claridade,
e o espírito até ser vida, criação e liberdade;
Inspiração irreprimível na fonte primordial
onde fica suspensa e trémula a palavra
até a filosofia a tornar inaugural!...




Luís Lourenço, Poética do Instante filosófico

12 comentários:

mdsol disse...

Fosse eu de ... ia e, talvez estivesse habilitada a comentar... Mas leio e gosto sempre de passar por aqui!
:))

Zé Camões disse...

É engraçado, todos falamos da verdade e muitos têm feito uma busca intensa no sentido da encontrarem, no entanto se ela realmente puder ser alcançada, será que nós a pretendemos conhecer?
Abraço.

dona tela disse...

No filme que ando a fazer não há palavras assim tão difíceis. É o que me vale.

Muitos cumprimentos.

Rembrandt disse...

Luis
No se por qué pero leyéndote pensé en la piedra filosofal,
quizás la dificultad del idioma en la traducción me haya jugado una mala pasada , será lo que pienso ???

Beijinhos

isis de la noche disse...

Sabes... cuando te leo mi alma se eleva. La claridad poética de tus versos trae a la tierra esos mundos que tu alma vislumbra, y tus letras son como la ventana a través de la cual podemos sentir que su luz nos envuelve y nos acaricia...

Es música celestial...

Y esa es la razón por la que dejé una invitación para ti en mi blog. Si no quieres participar, eres libre de no hacerlo ;)

Pero comprenderás que siempre te visito esa música celestial me envuelve y adivino que la música es una de las cosas que más te inspira... ;)

Besos!!! y un abrazo grande, grande ;)

Graça Pires disse...

Das palavras. Do silêncio. Das sombras. Da claridade.
Beijos.

mariab disse...

o nosso espanto perante o que não entendemos... belo fluxo de palavras.
beijos

Cidinha disse...

Palavras são tentativas de compreensão, e muitas vezes nem elas dão conta de dar significado ao que sentimos. Muitas vezes,são apenas uma pausa para que possamos através delas procurar outros significados. E a verdade, meu amigo, a quem pertence? Díficil dizer.

Abç
Cidinha

Carla disse...

a vida em palavras...com vida
beijos e gostei imenso

Mar Arável disse...

Um dia escrevi

Vagarosos Instantes

Belo texto o seu

heretico disse...

do granito à beleza da "calçada portuguesa".

... da obscuridade à luz. da Palavra poética...

(a Filosofia é instrumental...)

abraços

Cleo disse...

Infinitos segredos ainda por desvendar,inspiração a inventar, este é o desafio da vida, o instante mágico.
Lindo o poema Véu de Maya.
Beijos carinhosos prá você e magnífica quarta-feira.
Cleo