quarta-feira, 3 de abril de 2013

Adão e Eva




*****
Somos a vida que sofre no nada
E o mar onde os navios se contagiam errantes
Nos clarins da partida e da chegada;
*
Somos o nada que se espelha no tudo
E a música onde o Universo
É uma máscara sublime em ornamentos de veludo;
*
Somos a passagem-breve-
Que se espelha nos sonhos da madrugada...
E o véu dos abismos 
Que se deslumbra na claridade da noite estrelada;
*
Somos o desejo-livre- 
Que se derrama na liberdade cercada...
E o vento que se descarrega 
Nas nuvens de uma ilusão adiada;
*
Somos o amor-incerto-
Que circula na humanidade fechada...
E a liberdade que combate 
Até transbordar em morada sagrada;
*
Somos os véus do tudo e do nada
Peregrinos absolutos na estrada
Os dados duma errancia arriscada...
Inocentes sobre o recinto da vida
Lançados simplesmente e mais nada!...

Véu de Maya

Sugestão:ligue a música antes de escutar o  poema-explore a qualidade 3D do vídeo...e obrigado pelo carinho da visita.

2 comentários:

Mar Arável disse...

Somos

mais leves que o voo

heretico disse...

belíssimo.

recolho este verso - "somos o desejo-livre/que se derrama na liberdade cercada..."

abraço