domingo, 23 de outubro de 2011

DESTINO



Sou do vento sou da lua
E no mar sou das marés.
Na vida...sou paixão pelos oásis
Silêncios altos pela colina
Onde voa livre a águia furtiva
Que à serpente da vida encanta
Como aos poetas sagrados
Que em versos inspirados
O destino sempre espanta
Com enigmas de parcas e anéis...
Tão perto dos altares velados
Como da embriaguês até aos pés!
As poesias que lanço à vida
São do destino promessas
Mas já que sou livre no voo
E elas são fogo em flechas
atiro-as para longe sem pressa...

Véu de Maya

2 comentários:

parole disse...

Sua poesia não é apenas promessa é um fato, pois ela me encanta, querido.Belíssima!

Beijos e uma linda semana.

Mar Arável disse...

Meu caro poeta

é sempre com prazer que o visito

mas não é fácil cá chegar

À sua consideração

Abraço