terça-feira, 11 de outubro de 2011

CABRA-CEGA


*
Rodem ao vento a soprar
E às marés a exorbitar
E às gaivotas a voar
E aos navios altivos no mar!
*
Admirem o céu a estrelar
E os acasos da vida a rolar
E as crianças no jogo a brincar
Como na aurora da noite
A luz do dia ao despertar!
*
Rejubilem com o Universo a girar
E o tempo misterioso a passar
Como um leque de abrir e fechar
Num idílico toque primordial !
*
Espalhem ar puro ao plantar
E colham verdes ao respirar
E cantem ao azul do céu e do mar
E ao vermelho da paixão ao transbordar!
*
Mas gritem alto e em silêncio
Que o mal que existe no Mundo
E que é monstruoso e imenso...
Um dia se afundará sublime
Como um icebergue profundo!...
Véu de Maya

1 comentário:

heretico disse...

belas imagens poeticas. que deixam transparecer uma certa espiritualidade panteista...

enfim, atrevo-me a considerar..

abraço