sábado, 10 de novembro de 2012

PAIXÃO SUBLIME







*****
Amo a luz das estrelas
Que me faz lembrar as artérias vermelhas
E os corações puros por desvendar;
*
Amo o oceano profundo
Que me faz despertar nos rios de mim mesmo
As travessias sem fundo
*
Amo a altitude das colinas
Que me faz desflorar arcos-íris
E abismos por trás das cortinas
*
Amo a calma dos vales
Que me faz levitar nos ares
E nos voos tensos das aves;
*
Amo as vertigens do silêncio
Que nos abrem os oásis imensos
onde se poderiam plantar férteis pomares
 Neste abissal deserto;
*
E amo ainda mais aquele coração profundo 
Donde irradia toda a emoção do Mundo
E que tal como um eco é um amor sem fundo!...


Véu de Maya


PS.  Explore a dimensão 3D  e desfrute dos efeitos variados de cor e imagem.

2 comentários:

Sandra Subtil disse...

"Amo as vertigens do silêncio
Que nos abrem os oásis imensos
onde se poderiam plantar férteis pomares
Neste abissal deserto;"

Uma pequena (grande!!!) maravilha.
Adorei.
O silêncio é de facto água no deserto da nossa vida.
Parabéns. Um excelente poema meu amigo.
Beijinhos, Luis

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido Poeta

Hoje não tenho palavras para este poema que é um mar de emoções que não consigo descrever...senti apenas.

Um beijinho com carinho
Sonhadora