quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

VÉU DA ILUSÃO



É a errância e a dúvida libertadora
onde desponta uma refrescante aurora
com inéditas questões que varrem os dogmas para fora;

*
a ilusão frágil de ser senhor de si e do Universo
onde sobre o real tudo é duvidoso e controverso
menos o que no pensar está inscrito e é o inverso;

*
o espanto frente à imensa Natureza
onde a confiança no mecanismo e na ciência
dá lugar aos pilares de tão almejada fortaleza;

*
a humilde sabedoria das metamorfoses
no Universo, múltiplas, errantes, e dispersas,
e no homem firmes, se as mistura em doses certas;

*
o jogo da dúvida e da certeza
onde cada pergunta desafia a incerteza
e cada dúvida ambiciona por uma nova certeza;

*
o mito da certeza e a ilusão do sujeito
na claridade de uma nova dialéctica
onde a certeza do eu é apenas aspiração frenética;

*
o percurso, a dúvida, e o lugar da verdade
onde a certeza é a bela ilusão em que a dúvida repousa
antes de voar para uma nova imaginação da realidade;

*
É a dúvida e a viagem libertadora,
incerteza e errância no desconhecido;
Humilde sabedoria das metamorfoses,
no Universo e no homem,
distantes mas conformes;
Percurso, inquietação, e lugar da verdade
onde a dúvida repousa efémera e lúcida
num alegre despertar face à realidade
até subir a uma nova certeza e claridade!...


Véu de Maya

2 comentários:

Parole disse...

a certeza é a bela ilusão em que a dúvida repousa.

Sua sabedoria é enorme...

Beijo.

heretico disse...

poesia em côncavo! onde todos os reflexos convergem.

centelha no lume da pedra.

abraço, Poeta