quinta-feira, 21 de maio de 2009

VERTIGEM DO CLARO/OBSCURO

ANOTHER WORLD II_ESCHER
Mozart- Piano Concert n 21- 5.51-barra de vídeo
**
É a fonte de luz e a pressão da treva
num frente-a-frente onde a vitória
é supressão da névoa;
**
a irradiação do sujeito no objecto
onde a actividade traz riqueza ao Mundo
e a afirmação roda no eixo certo;
**
o nó do objecto e a rotação do sujeito
como o enigma da esfínge no trágico herói
cuja sagacidade liberta mas enfeitiça e doi;
**
o gesto e a metamorfose
que dão novas caras ao Mundo e no amor
da fusão aspiram à plena simbiose;
**
a medida certa e a virtude prática
que na escala do amor à vida
são férteis similares à matemática;
**
o espírito e a alienação
que trazem ao Mundo o devir e a contradição
onde todo o vivo é dor e riso e transformação;
**
a renovação e o poder de criar
que permitem aos homens viver e sonhar
e na terra os pomares voltar a plantar;
***
É ilha de luz e pressão da treva,
actividade e alienação,
poder de criar e de renovação
na roda sagrada da afirmação;
Desejo e vontade, acto e metamorfose,
onde tudo aspira à plena simbiose;
O enigma da esfinge,
e o destino do edipiano herói,
que vai libertando, mas enfeitiça e dói!...





Véu de Maya

8 comentários:

Carla disse...

vertiginosa a leitura deste teu texto...como se provocasse em nós uma metamoforse
beijo

WOLKENGEDANKEN disse...

Ah, um Escher e um dos mais fascinantes

o espírito e a alienação
que trazem ao Mundo o devir e a contradição
onde todo o vivo é dor e riso e transformação;

gosto muito ! E essa contradicao que nao é contradicao mas a vida como é em realidade

e "dor e riso e transformação" é uma exacta descripcao da vida e até mais porque quem nao chega a aceitar a transformacao permanente nunca chegara a sentir nem liberdade nem felicidade.

cumprimentos para um bom fim de semana

isis de la noche disse...

El caminar por la vida es una renovación constante. Una muerte a un estado anterior para acceder a otro, cerrar un ciclo para empezar otro, dejar que el pasado pase para que llegue el futuro..

Y es el presente el atanor donde se forja el alma. Es el vértice donde atrapamos al tiempo y el fuego de la luz y nos enfrentamos a las sombras.

Pero siempre renaciendo... fascinándonos con la vida, que se despliega sobre sí misma a cada instante...

Maravilloso poema..

besos!!!

Papoila Sonhadora disse...

Um abracinho,

Graça Pires disse...

A luz e a treva: a vertigem do olhar e das palavras.
Beijos.

EternaApaixonada disse...

Mais um momento que nos leva à profunda reflexão! Parabéns!
Deixo alguns pontos que me fez pensar...
Viver é ter consciência da realidade
que se esconde atrás da aparência.
É ver além dos cinco sentidos.
É enxergar com os olhos da alma.
A vida materializa nossos pensamentos.
Conforme acreditamos, ela se
torna boa ou ruim.
Para receber é preciso primeiro dar.
Para atrair é preciso irradiar.
Essa é a força da vida...
Sempre cresço com sua linda visão interior, meu querido Luigi!
Beijos com todo meu carinho. Até!

mariab disse...

sim, palavras à altura da vertigem de Escher. belo.
beijos

heretico disse...

Eros e Thanatos. a luta permanente. pela Vida.

gostei muito

abraço