sábado, 15 de setembro de 2012

JOGO LÚGUBRE


*****
Marionetas inquietas e até sublimes
No caos do Universo estranho e secreto
Baile trágico de máscaras invisíveis
E comediantes que dançam à cabra-cega!
*
Queremos ser a liberdade no Mundo
E em cada vida sagrada
O sonho de uma morada afirmada...
*
Mas sobra ainda quanta escravidão?
Que congela na aranha que nos aperta
E no deserto que prolifera e nos cerca...
*
Dados inocentes jogados sobre o tabuleiro da vida
Procuram plantações férteis
Mas rolam tantos farsantes nesta aventura incerta!....

Véu de Maya

2 comentários:

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido Poeta

Muito bem vindo, tinha saudades de te ler e ouvir.
Tão verdade...tão agora...tão povo amordaçado...tão feito de realidade o teu belo poema.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

heretico disse...

é bom ler-te. sempre...

gostei muito do poema.

abraço