segunda-feira, 2 de maio de 2011

LONJURA



OS DOIS MISTÉRIOS_RENÉ MAGRITTE
 
*
Não vou por ninguém.
 Vou pela águia que voa
E ao sonhar mais além...
Sou ainda o amor que sopra
E o declínio que vem...
*
Nem vou só por mim
Ou pelo voraz pensamento:
Qual menino na ilusão do momento!
 A cheirar flores no jardim,
sem se lembrar do cinzento.
*
Só vou pela vida
Que é um labirinto sem manto!
E pelos altares da embriaguês
Onde gozo os véus que levanto.
*
Só vou pela vida
Que é o meu mágico encanto!
E pelos voos altos em que a desafio,
Até a fechar no seu último suspiro...
E aí redimí-la de tudo o que é pranto!...

Véu de Maya



3 comentários:

Mar Arável disse...

Bom texto com profundidade

de pensamentos

Sandra disse...

Se vais pela vida creio que vais bem.
Beijinho (já estava com saudades...)

heretico disse...

voo de aguia. na vertigem das alturas...

abraços