domingo, 3 de abril de 2011

O LAÇO: VIDA/CULTURA


O BURRO APODRECIDO_S.DALÍ

*
É o apelo da vida à cultura
onde o fluxo criador tanto pode murchar
como renascer e brilhar;
*
O fluido e a seiva criadora
onde se celebram no auge
tempos intensos e uma nova aurora;
*
o declínio e a decadência
onde a vida e a cultura
se esgotam numa pobre doença;
*
o grito e o sono da morte
de Deus, do homem, e da sorte,
quando a vida erra sem arte e sem norte;
*
A luta e o vazio no ser
onde a vida tanto se pode perder
como em novas paixões se acender;
*
o fogo e a chama do viver
onde é impossível deixar de ser
e se prefere o nada ao nada querer;
*
O sonho colectivo e a imaginação
onde a vida e a cultura se fundem
no triunfo de uma alta inspiração;
*
É vida e cultura, luar e seiva criadora,
saúde e doença, declínio e aurora,
morte de Deus, da sorte e do eu;
Vitória sobre si e um novo horizonte,
luta e vazio, paixões novas e os riscos
do nada e até de se perder;
Chama colectiva no fogo do viver,
união frágil da vida e da sabedoria,
na eterna aspiração da filosofia!...

Véu de Maya

4 comentários:

Mar Arável disse...

Abril em Maio

pode ser em todos os ciclos de marés
Quando um Homem quiser

Vivian disse...

Bom dia amigo!!

Sempre me encanta, com a beleza e a força das suas poesias!!
A vida sem cultura, é impossível!!!
Maravilhosa poesia!!
Beijos pra ti!!
Lindo dia!!

Graça Pires disse...

A vida é tudo e nada... Gostei do poema. Um beijo.

heretico disse...

poema faiscante - como lume arancado da pedra da Sabedoria.

excelente.

abraços