quarta-feira, 3 de março de 2010

QUEM ESCUTA?


Photobucket


MENINA À JANELA_DALÍ
*
Entre a dor que vibra em tudo
E a alegria que floresce,
Vai-se embriagando o mundo,
E até o deserto que cresce;
*
Entre o Sol que transborda
E o vento que desfolha,
Dança o enigma do tempo,
Que é jogo e pressentimento;
*
Entre os desertos que abrimos
E os oásis que florimos,
Voam tão leves os pássaros,
E tristes os véus dos sábios;
*
Mas entre nós e o fim incerto,
Que é a errãncia na estrada,
Desintegra-se o caos secreto,
E por fim pétalas à última jogada,
*Será talvez do ser do tempo,
Que ao rodar tudo desgasta,
Mas quem escuta se será da pressa,
Ou da lentidão que à vida arrasta!...
Véu de Maya

3 comentários:

Graça Pires disse...

"Será talvez do ser do tempo,
Que ao rodar tudo desgasta"
Quem sabe?
Um abraço.

FOTOS-SUSY disse...

OLA LUIS, MARAVILHOSO POEMA...GOSTEI MUITO...QUE TENHA UM FELIZ RESTO DE SEMANA!!!
BEIJOS DE AMIZADE,


SUSY

Isa disse...

Chego pela 1ª vez a este blog.
Conhecia o nome mas ñ o conteúdo.
Passeei,li e gostei muito.
Felicidades e bom fim de semana!
Abraço.
isa.