sábado, 27 de junho de 2015

Pérolas em Ostra


*****
Não vou por ninguém
Sou lonjura na águia que voa...
E ao sonhar mais além
Sou ainda o amor que sopra
E o declínio que vem;
*
Nem vou só por mim
Ou pelo voraz pensamento
Qual menino na ilusão do momento!
A cheirar flores no jardim
Sem se lembrar do cinzento;
*
Só vou pela vida
Que é um labirinto sem manto...
E pelos altares da embriaguez
Onde gozo os véus que levanto;
*
Só vou pela vida.
Que é o meu mágico encanto
E pelos voos altos em que a desafio
Até a fechar no seu último suspiro
E aí,- redimi-la de tudo o que é pranto!...
Véu de Maya

Para ter a percepção do vídeo em full screen queira ter a amabilidade de passar ao YouTube...
Obrigado pelo carinho da presença. Deixo o meu abraço com afecto e consideração.

4 comentários:

Mar Arável disse...

Há beijos assim a preto e branco

Luis lourenço disse...

caro poeta!

os versos sâo como os beijos. Quanto mais intensos melhor.
Obrigado pela visita. Abraço.

Rembrandt disse...

Cuánto más intensos los versos más grande el disfrute de quien los lee.
Preciosa letras estimado Poeta.

Muitos beijinhos.
REM

Luis lourenço disse...

Ah, querida Rembrandt!

O poder da arte-sobretudo das românticas-é de criar luzes e pontes de comunicação.

Gracias-um abraço bem carinhoso em você.

Véu de Maya