sábado, 4 de abril de 2015

Esste sonho virginal/ FEFIZ PÁSCOA.


copyright
*****
Neste espelho vital que entre versos entrelaço,
Convoco as estrelas longínquas
Para um abraço virginal.
*
Que é só com luz e paixão
Que se vence a fraqueza e o cansaço
E a vida no seu todo clama 
Por desafios e triunfos, mas colo e regaço.
*
Neste canto solitário, mas imenso e feliz,
 Onde subo às estrelas-
Essas companheiras predilectas do céu-
*
São elas quem mo diz: és um poeta da vida,
Desde os sonhos até à raiz,
Tão genuíno que nenhum dos teus versos,
Nisso, te deixaria sem matriz.
*
Mas, se sobes tão profundo,
Deve também o poema descer 
Ao coração do Mundo:
Dores, euforias, guerras e prantos.
*
E ao coração da Vida-
Desertos e vazios, desafios e encantos.
*
Que a todos entrelaço, neste poema de estrelas,
 Que é de amor e riso a celebrar tanta vida
 Perdida e desprendida por cantos e recantos.
*
E fico assim-em suspenso-
Neste barco solitário mas sublime,
Onde as estrelas-essas predilectas ninfas do céu-
Me vêm entrelaçar...
*
Até que rasgos mais eficazes
Que não tão frágeis e efémeros como o poema,
Venham transitar nesta paixão vital.
*
E trazer à Vida e ao Universo, este abraço virginal
Que é tão urgente e universal?...

Véu de Maya

Para ter a percepção do vídeo em full screen queira passar ao YouTube....Coms votos de PÁSCOA FELIZ, o meu abraço, com afecto.

2 comentários:

Mar Arável disse...

Há sempre uma esplanada neste país à beira mar betonado

Luis lourenço disse...

as esplanadas e outros espaços públicos podem ser motivos de inspiração...mas aqui a matéria é diferente. Obrigado pela visita. Um abraço, poeta.