segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Por Barcos e Ondas


*****
Ah, Poeta!,- Que estrelas e sombras acolhes nos teus versos?
Afloras-me tu em silêncio, por ser eu a fonte de jogos tão diversos,
Em toques de espelhos, como nos teatros velados por máscaras,
Metáforas dos lances de mim própria no destino das tuas páginas!
*
Ah, Vida!,-Como chegaria eu a pressentir-te por luzes e sombras, 
Sem navegar no teu mar, como os barcos em loucas ondas?
E até no fogo das tuas raízes colher cravos encarnados e liberdades,
Tal como o luar enfeitiça a noite ao suavizar as obscuridades!
*
Ah, Poeta!,-Se te afago nas minhas libações e mistérios,
Com alquimias de prumo que arrancas das minhas fábulas,
É porque te sinto a florir, por mim, no auge das tuas metáforas?
Em voos rasgados ao coração dos meus encantos mais incertos...
*
Ah, Vida!, Mas se te sinto no alto, por metáforas de luzes e sombras,
Tal como os barcos no mar vão aos portos pelo desafio das ondas,
É porque te canto intensa, no devir eterno dos prantos e sonhos,
Até tu-ninfa plena-arderes aqui, como a poesia nos meus olhos!...

Véu de Maya

Deixo-vos o meu abraço, com afecto. Para abrir o vídeo em full scren basta passar ao YouTube onde terá igualmente acesso ao poema.

2 comentários:

heretico disse...

forte abraço, poeta.
um encantamento de ninfas tecendo belas metáforas.

Rembrandt disse...

"...Como la luna hechiza la noche para suavizar las sombras!
Oh mi querido Poeta que las musas siempre te acompañen, tus letras iluminan.

Muitos beijinhos y un placer leerte otra vez.
REM